screen 1

Mulungu Coral

Produto esgotado

Mulungu Coral

 

Nome Popular

Mulungu, suinã, mulungu coral

Nome Científico

Erythrina verna

Família

Fabaceae-Faboideae

Peso do Pacote

250 Gramas

Síndrome de Dispersão

Autocórica

Sinomínia Botânica

Erythrina flammea Herzog, Erythrina mulungu Mart. ex Benth., Corallodendron mulungu (Mart. ex Benth.) Kuntze

Grupo Ecológico

Pioneira

Classificação Sucessional

Secundária Tardia

Ameaça de Extinção

Quase Ameaçada

Ocorrência conforme resolução SMA 08 - Estado de São Paulo

Floresta Estacional Semidecidual - Centro

Origem

Bahia, Espirito Santo, Minas Gerais, Rio de Janeiro, São Paulo

Locais de Ocorrência

Nordeste, Sudeste

Onde Plantar

Pracas, parques, jardins e avenidas.

Solo de Plantio

Áreas Úmidas

Porte da Árvore

De 10 a 15 metros, De 15 a 20 metros, De 20 a 25 metros

Utilidades

Caixotaria, Florada Atraente, Para Calçada, Uso Ornamental

Madeira

Leve, mole e macia, de baixa durabilidade quando exposta.

Tronco

Tronco ereto e cilíndrico de 50-70 cm de diâmetro, revestido por casca acinzentada com ritidoma estriado.

Folha

Folhas compostas trifolioladas, com pecíolo de 8 cm; folíolos ovalados, glabros, de 8-11 cm de largura e pouco maior no comprimento.

Flor

Inflorescências em racemos axilares e terminais, com flores vermelhas.

Fruto

Fruto vagem curta, deiscente, com 1-4 sementes.

Fruta Comestível

Não

Potencial Paisagístico

Pode ser empregada com sucesso no paisagismo, o que, felizmente, já vem sendo feito em algumas cidades de Minas Gerais e São Paulo. Sua flores são muito procuradas por beija-flores e outros pássaros para sugar seu néctar.

Fenologia

Floresce a partir de meados de agosto com a árvore totalmente sem folhas, prolongando-se até o final de setembro. Os frutos amadurecem em outubro-novembro com a planta ainda sem folhas. Logo após a queda dos frutos inicia-se a formação da nova folhagem.

Possui Propriedades Medicinais?

Sim

Propriedades Medicinais

Várias espécies de Erythrina são empregadas com fins medicinais, como inseticidas e como veneno para peixes. Na medicina tradicional brasileira a casca do mulungu tem sido usada há muito tempo pelas populações indígenas, como sedativo. Na medicina herbária é considerada um excelente sedativo para acalmar ansiedade, tosses nervosas e outros problemas do sistema nervoso incluindo agitação psicomotora e insônia. É também largamente empregada contra asma, bronquite, hepatite, gengivite, inflamações hepáticas e esplênicas, febres intermitentes e insônia. Nos EUA é usada por práticos e herbalistas para acalmar crises de histeria proveniente de trauma ou choque, como sedativo hipnótico brando, calmante do sistema nervoso, inclusive para eliminar palpitações do coração (extrassístole), insônia e contra problemas hepáticos e hepatite.

Sementes por Quilo

5.700

Sementes por Cova

2

Mês de Coleta

Março

Classificação

Intermediária

Longevidade e Armazenamento

A viabilidade desta espécie em armazenamento é superior a 10 meses.

Colheita

Colher os frutos diretamente da árvore quando iniciarem abertura e queda espontâneas, ou recolhê-los no chão após a queda. Em seguida deixá-los ao sol para que completem sua abertura e a liberação das sementes.

Quebra de Dormência

Não é necessário.

Como Plantar

A reprodução seminal é obtida colocando-se as sementes para germinar, logo que colhidas e sem nenhum tratamento, diretamente em embalagens individuais contendo substrato organo-arenoso. Cobri-las com uma camada de 0,5 cm de substrato peneirado e irrigar diariamente. A taxa de germinação é alta. O desenvolvimento das plantas no campo é bastante rápido.

Entre em contato: (18) 3646-1337