Canafistula

Canafístula pacote com 50 grs
R$ 14,25
→ Desconto à vista no depósito bancário
→ 1 x de R$ 14,25 no cartão de crédito

Canafístula

 

Conhecida como

Canafístula, farinha seca, faveira, sobrasil, tamboril bravo, guarucaia, ibirá puitá

Nome cientifico

Peltophorum Dubium

Sementes/kg

21.400

Bioma

Cerrado, Mata Atlântica

Região de origem

Bahia, Distrito Federal, Goiás, Mato Grosso do Sul, Minas Gerais, Paraná, Rio de Janeiro, São Paulo

Solo de Plantio

Áreas Secas, Áreas Úmidas

Classificação

Secundária Inicial

Altura (Metros)

De 10 a 15 metros

Onde Plantar

Ruas, avenidas, praças, parques, jardins e margens de corpos d'água

Utilidades

 

Construção Civil, Marcenaria, Mata Ciliar, Para Sombra, Uso Ornamental

Madeira

Moderadamente pesada (densidade 0,69 g/cm³), rija, sujeita ao empenamento durante a secagem, de longa durabilidade quando em lugares seco

Flores

Flores amarelas, bissexuadas, zigomorfas, diclamídeas, dispostas em panículas terminais grandes

Frutos

Fruto legume indeiscente e achatado

Época de Floração

Floresce abundantemente de dezembro a fevereiro. A maturação dos frutos verifica-se em março-abril, entretanto suas pequenas vagens permanecem viáveis na árvore durante muitos meses

Quebra de dormência

As sementes da canafístula apresentam forte dormência tegumentar, que pode ser superada em ambientes naturais pelo aumento repentino da temperatura do solo por ocasião da abertura de clareiras na floresta (Costa & Kageyama, 1987). Para obtenção de mudas, com os tratamentos: escarificação mecânica por dois a cinco minutos (Figliolia & Silva, 1982) ou 30 minutos (Alcalay et al., 1988) e escarificação com papel de lixa (Arboles..., 1992); pelo corte do tegumento na região oposta à da emergência da radícula (Alcalay et al., 1988) ou corte do tegumento na região radicial (Figliolia & Silva, 1982); imersão em ácido sulfúrico concentrado por dois a dez minutos (Bianchetti & Ramos, 1981), 20 minutos (Guerra et al., 1982; Perez et al., 1999) ou por 30 minutos (Capelanes, 1991), ou imersão em água ambiente por 24 horas (Marchetti, 1984). Os tratamentos de imersão em água quente fora do aquecimento (70 a 95ºC) não são eficientes para superar a dormência (Bianchetti & Ramos, 1981). As sementes mantêm germinação baixa e irregular, se não forem submetidas a tratamento para superação da dormência. Para sementes não tratadas, os tratamentos pré–germinativos utilizados por Figliolia & Silva (1982), não foram eficazes na permeabilização do tegumento

Local de Plantio

O plantio pode ser feito em canteiros diretamente ou em embalagem plástica. Orienta-se a utilização de substrato ou terra vegeta

Semeio

Para que se faça uma muda, coloca-se de 2 a 3 sementes por cova/embalagem. Após o semeio, cubra com terra superficialmente

Irrigação

Irrigue no mínimo 2 vezes ao dia

Germinação

15 a 45 dias